TEMER PRECIPITA BUSCA DE UM CANDIDATO INCERTO

O governador Geraldo Alckmin recebeu o desafio do PSDB de se viabilizar como candidato a presidente na forma da conquista de um patamar de 20% nas pesquisas, ele que patina hoje entre apenas 5 a 7%. Abril, o prazo.

O repto veio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que na semana abriu a janela para a alternativa de sua legenda apoiar candidato de outro partido caso comungue da mesma cartilha tucana. Alckmin com isto fica duplamente desafiado. 

Para o presidente Michel Temer, que busca um perfil de centro para ancorar seu governo no pleito de outubro, foi uma dificuldade a mais a se somar ao cipoal de desafios que o cerca. Sem Alckmin, fica restrito a apoiar Henrique Meirelles e Rodrigo Maia, ambas as candidaturas de musculatura incerta.

Ainda que o governador paulista reunisse possibilidades reais, a pintura do quadro depende do resultado do julgamento do ex-presidente Lula no dia 24. Antes disso, qualquer movimento se anula diante da expectativa de um fato novo que o final de janeiro vai trazer.

O governo perde mais que todos os atores de 2018 porque o tempo urge. Tem que aprovar a reforma em fevereiro ou nada mais deve almejar se houver derrota. Neste caso perde a base que ainda controla no Congresso para aprovar qualquer outra reforma ou PEC e mesmo as MPs que aguardam na fila. 

Um janeiro desafiador para Temer. 

 

Última modificação emDomingo, 07 Janeiro 2018 20:34
Editor

Diretor-Presidente e Diretor-Editor da Polis Editorial Ltda,com clientes corporativos nacionas no ramo da Consultoria de Comunicação. Editoração da CARTA POLIS, informativo on line com informações e análises exclusivas sobre bastidores do poder em Brasilia.

Website.: www.cartapolis.com.br

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

:: Vídeos