LEI DE MURPHY EXPLICA BEM EPISÓDIO CRISTIANE BRASIL.

Uma avaliação política que se faz em torno do "imbroglio" da posse da deputada Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho é que está sendo um fator novo e inesperado para dificultar os planos do governo Temer para aprovar a Reforma da Previdência no dia 19 de fevereiro. 

O mais lamentável é que um mero episódio de substituição de ministro de pasta considerada secundária foi capaz de gerar todo o desgaste interno, pelas proporções inesperadas que o fato tomou. Fugiu ao controle.

O presidente Temer viu-se envolvido em um acontecimento politicamente oneroso para o governo porque quis prestigiar o presidente de um dos partidos da base, que vota lealmente com ele, mas sem se dar conta de que o próprio pai não sabia de nada sobre a folha corrida da filha na Justiça.

No caso, a filha falhou com o pai, por não tê-lo informado antes da conversa com o presidente Temer, na qual surgiu o convite.

Se Jefferson soubesse, teria dito a Temer, que teve a iniciativa: "Obrigado, presidente, prefiro indicar um outro nome da da bancada do PTB na Câmara".

Isto, para preservar Cristiane Brasil da indesejável exposição na imprensa, que todos os dias publica uma nova aleivosia debitada a ela, e também preservar Temer da embrulhada em que se meteu, o que o levou a confrontar-se mais uma vez com o Judiciário, tudo o que não queria agora.

Esse caso deve ser explicado pela Lei de Murphy. Diz que se algo pode dar errado, dará.

Última modificação emQuarta, 10 Janeiro 2018 18:36
Editor

Diretor-Presidente e Diretor-Editor da Polis Editorial Ltda,com clientes corporativos nacionas no ramo da Consultoria de Comunicação. Editoração da CARTA POLIS, informativo on line com informações e análises exclusivas sobre bastidores do poder em Brasilia.

Website.: www.cartapolis.com.br

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

:: Vídeos