ALCKMIN QUER SER PRESIDENTE ADIANDO INÍCIO DA VACINAÇÃO

O governo de São Paulo prepara-se para dar início à mas ampla campanha de vacinação contra a febre amarela que já se teve noticia no Brasil. Milhões de paulistanos e paulistas serão vacinados em um mês inteiro. Para evitar filas imensas, pânico e ansiedade extrema os agentes da Saúde do governo Alckmin baterão de porta para entregar senhas, numa logística de proporções jamais vistas.

No entanto, o homem que deseja ser presidente da República pelo lado do trabalho, marcou o início de tal gigantesco esforço de vacinação não no dia 25 - como será no Rio - mas para o dia 26, sob a alegação do feriado, pois ninguém é de ferro.

Agente público não trabalha em feriado, nem a ferro, mesmo para salvar o paulistano e o paulista da picada do fatídico mosquito. O mosquito esse sim, continuará proliferando no feriado de 25 de janeiro.

Alckmin não intuiu que o País deseja um presidente que trabalhe até nos feriados ou principalmente neles.  

Editor

Diretor-Presidente e Diretor-Editor da Polis Editorial Ltda,com clientes corporativos nacionas no ramo da Consultoria de Comunicação. Editoração da CARTA POLIS, informativo on line com informações e análises exclusivas sobre bastidores do poder em Brasilia.

Website.: www.cartapolis.com.br

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

:: Vídeos